terça-feira, março 28, 2006

Oportunidade para o CDS/PP (DM)

Numa altura em que a oposição centro-direita praticamente não existe é necessário "ressuscitá-la" e criar oportunidades para combater os erros desta maioria socialista. O CDS, que se encontra num momento de crise, tem essas oportunidades já criadas.
Quem acompanhar com alguma regularidade os debates mensais no parlamento verifica que a única bancada que dá que fazer a José Sócrates é a bancada do CDS/PP. Os sociais-democratas depois da derrota histórica de Fevereiro de 2005 não ficaram servidos nem com parlamentares nem com Presidente. O PSD, apesar de um grande partido, encontra-se bastante mais pequeno e com graves dificuldades em fazer oposição. Falta estratégias, ideias, união, empenho e, até, líder. Enganem-se aqueles que acham que o partido está bem porque ganhou as autárquicas e as presidenciais. A vitória nas autárquicas tem a ver com o candidato local que tinha ou não melhores propostas, que tinha ou não mais popularidade. A cor política não é decisiva. O mesmo se passou com a vitória do Prof. Cavaco Silva, isto é, a vitória foi pessoal e pelo seu próprio mérito.
O CDS/PP tem um só problema e esse problema é o seu próprio líder. Ribeiro e Castro, embora tenha capacidade de liderança e tenha sido legitimado pelos delegados e militantes, tem uma bancada parlamentar rebelde. Em Portugal há um vazio na oposição centro-direita e quem está a colmatar essa lacuna é a bancada parlamentar do PP. Portanto, é importante que no próximo congresso surja um nome dos parlamentares de modo que haja uma maior consonância entre líder e bancada fortalecendo, assim, o partido. Esta é uma oportunidade que o CDS deve aproveitar caso queira crescer. A fraqueza do PSD é uma mais-valia para o CDS subir e conquistar apoiantes da ala mais liberal e conservadora do PSD. Mas, para isso, tem de dar provas e este é o momento.

6 Comments:

Anonymous João Teixeira said...

Realmente pode ser uma oportunidade. Esperemos que surjam nomes. Telmo, avança!

9:42 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Agora és Popular?

9:44 da tarde  
Anonymous Paulo Gomes said...

A direita tem muito que lutar! A Esquerda triunfou, trinfa e triunfará!

Cumprimentos aos derrotados da direita!

9:48 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Olá Diogo!

tens que me explicar o que é isso da "ala mais liberal e conservadora". Não são dois termos opostos entre si?

Francisco B.

10:40 da manhã  
Blogger Diogo Mendes Silva said...

Viva Francisco!

Tenho todo o prazer em esclarecer. Quando me refiro à "ala mais liberal e conservadora", o sentido liberal é no sentido da dependência do Estado, isto é, menos dependência e a ala "conservadora" refere-se às questões sociais. Confesso que pode gerar alguma confusão o antagonismo. Provavelmente não fui muito explícito.

Espero ter esclarecido.

Abraço e volte sempre!

2:46 da tarde  
Anonymous Alberto Fernandes said...

Não concordo. Acho que o PSD tem um líder, um bom líder. Claro que o grupo parlamentar é miserável, mas isso são os infelizes restos santanistas. Mas, para mim, o Marques Mendes é o líder que o PSD precisa, pos o partido nos carris certos de novo, o PSD, voltou a ser o PSD, não uma amálgama de loucura e surrealismo lideradas por um incompetente chamado Pedro Santana Lopes. Não te podes esquecer que o partido ficou em cacos depois das últimas legsilativas, e o Marques Mendes tem feito uma oposição séria, credível à imagem daquele PSD trabalhador, defensor do rigor e do mérito, que luta pelo melhor para o país, que não embarca em populismos nem em oposição de terra queimada só para dizer mal do governo, aquele PSD com o qual eu me identifico e, julgo, a maioria dos militantes. Bem diferente daquele que seria com Luís Filipe Menezes. Agora, claro que não é fácil fazer oposição contra um governo que no geral é visto como um governo que está a tomar as medidas necessárias e que não tem medo de decidir, o Sócrates tem um grande capital de confiança. Mas acima de tudo, no que diz respeito ao PSD e à liderança, precisamos de tempo, de estabilidade de deixar que as coisas se consolidem, eu não acho que temos que estar sempre à espera de um líder providencial, quase messiânico, se ele aparecer melhor, se não, não vamos andar sempre a queimar nomes, a ter líderes provisórios, não, vamos confiar numa pessoa que, para mim, tem grandes qualidades. Ainda acho que o Marques Mendes vai longe.

5:20 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

 

 

   Links

Blogues

  • 31 da Armada
  • A Arte da Fuga
  • A Destreza das Dúvidas
  • A Origem das Espécies
  • Abrigo de Pastora
  • Abrupto
  • Atlântico
  • Axónios Gastos
  • Blasfémias
  • Bloguí­tica
  • Causa Liberal
  • Combustões
  • Conversas Vadias
  • Da Rússia
  • Do Portugal Profundo
  • Grande Loja do Queijo Limiano
  • João Pereira Coutinho
  • Letras com Garfos
  • Lóbi do Chá
  • Margens de Erro
  • My Guide to your Galaxy
  • O Futuro Presente
  • O Insurgente
  • O Mal de Portugal
  • O Observador
  • O Purgatório
  • Observatório da Jihad
  • Por Causa Dele
  • Por Tu Graal
  • Pura Economia
  • Quadratura do Círculo
  • Relações Internacionais
  • Retórica
  • Tempos Interessantes
  • Teoria da Suspiração
  • The Guest of Time
  • The Intelectual Life
  • Tomar Partido
  • Blogues Internacionais

  • Cato @ Liberty
  • Counterterrorism Blog
  • Freakonomics Blog
  • JCB Blog
  • Johan Norberg Blog
  • NEI Nuclear Notes
  • Private Sector Development Blog
  • Secondhand Smoke
  • The Conservative Philosopher
  • Imprensa

  • Público
  • Correio da Manhã
  • Jornal de Notí­cias
  • Diário Digital
  • Diário de Notí­cias
  • Agência Lusa
  • Diário Económico
  • Jornal de Negócios
  • Courrier Internacional
  • Expresso
  • Visão Online
  • Sol
  • TSF
  • Rádio Renascensa
  • Imprensa Internacional

  • ABC
  • Google News
  • Yahoo! News
  • The Economist
  • BusinessWeek
  • Foreign Policy
  • Time
  • Bloomberg
  • Financial Times
  • MSNBCnews
  • Foreign Affairs
  • CNN
  • Fortune
  • The Atlantic
  • The Times
  • The New York Times
  • Washington post
  • Zenit
  • Reuters
  • MercatorNet
  • Agence France Press
  • Courrier International
  • Le Monde
  • All Africa
  • Jornal de Angola
  • Invertia
  • Aljazeera
  • China Daily
  • Informações

  • IEEI
  • CIARI
  • IPRI
  • CIEJD
  • IGFSE
  • SEDES
  • Crí­tica
  • O Portal da Cidade de Braga
  • Universidade do Minho
  • Centro Universitário do Minho
  • Parleurop
  • Rede Eléctrica Nacional
  • Páginas Amarelas
  • Icep Portugal
  • Comissão Nacional de Eleições
  • Instituto Nacional de Estatí­stica
  • Dicionário de Lí­ngua Portuguesa
  • Banco de Portugal
  • Compromisso Portugal
  • União Europeia
  • Serviço de Informações de Segurança
  • Presidência da República
  • Portal do Governo
  • Diário da República Electrónico
  • Assembleia da República
  • Informações Internacionais

  • WTO
  • OPEC
  • OECD
  • OSCE
  • NATO
  • Hoover Institution
  • BP Global
  • Institute for International Economics
  • The World Bank
  • International Monetary Fund
  • Center for Security Policy
  • Chatham House
  • Council on Foreign Relations
  • Institut d'Études de Sécurité
  • Eurobarometer
  • Institute of Development Studies
  • G8 Information Centre
  • United Nations
  • Terrorism Research Center
  • The International Institute For
    Strategic Studies

  • CIA - The World Fact Book
  • Religião Católica

  • A Santa Sé
  • Opus Dei
  • Catholic Fire
  • Partidos Polí­ticos Portugueses

  • Partido Social Democrata
  • CDS/Partido Popular
  • Partido Nova Democracia
  • Partido Socialista
  • Partido Comunista Português
  • Bloco de Esquerda
  • Partidos e Instituições Conservadoras

  • International Democratic Union
  • The Conservative Party
  • Republican National Committe
  • American Conservative Union
  • The Churchill Center
  • Margaret Thatcher Foundation
  • Union pour un Mouvement Populaire
  • CDU/CSU
  • Conservative Party of Canada
  • Liberal Party of Australia