sábado, julho 25, 2009

A crise e o ouro (DMS)

O ouro é considerado como um dos metais mais preciosos, sendo o seu valor utilizado como padrão para muitas moedas ao longo da História. As crises financeiras têm mostrado que apesar do investimento neste metal não dar juros nem dividendos, o ouro pode ser uma forma de minimizar o risco de exposição ás volatilidades dos mercados financeiros. Nos últimos anos, e particularmente com o rebentar da crise financeira, os investidores em ouro têm vindo a aumentar significativamente.

Porque actualmente vivemos um período de queda generalizada dos preços dos bens (deflação), ou corremos risco que assim aconteça, faz com que os investidores se preocupem com as perspectivas de longo prazo da inflação. O ouro tem uma correlação fortemente negativa para com as carteiras de acções e obrigações, fazendo com que o desempenho das rendibilidades movam-se em sentidos opostos - ou seja, permite diversificar os investimentos de forma a minimizar o risco.

Existem quatro instrumentos financeiros que são os mais comuns para investir em ouro, sem necessarimente "possui-lo": os derivados (opções e futuros), os warrants, os Exchange Traded Funds (ETF) e os Contract for Differences (CFD). Isto é, comprar ouro através de CFDs de ETF. Os derivados são negociados em Bolsas regulamentadas de derivados, sendo o mais conhecido o Nymex. Warrants são instrumentos cotados em Bolsa que podem ser comprados ou vendidos ao preço fixado no contrato de exercício e numa data futura. Os ETFs são muito fiáveis devido à sua transparência porque replicam o preço do ouro, permitindo uma monitorização precisa relativamente à performance, tem ainda a vantagem de não funcionar como um sistema de margem como os anteriores. Isto é, os derivados e os warrants podem ter o risco associado muito alavancado. Finalizando, se comprarmos ouro através de CFDs de ETF são outra boa opção pois reflectem o comportamento do activo, a formação do preço é simples e está indexada aos preços spot e não têm maturidade.

O preçário do ouro varia diariamente em função da oferta e da procura nas Bolsas de commodities. Como todos os investimentos, o ouro tem o seu risco associado. Todavia, não deixa de ser um metal precioso que serviu durante séculos e séculos como moeda real e de referência ao sistema monetário.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

 

 

   Links

Blogues

  • 31 da Armada
  • A Arte da Fuga
  • A Destreza das Dúvidas
  • A Origem das Espécies
  • Abrigo de Pastora
  • Abrupto
  • Atlântico
  • Axónios Gastos
  • Blasfémias
  • Bloguí­tica
  • Causa Liberal
  • Combustões
  • Conversas Vadias
  • Da Rússia
  • Do Portugal Profundo
  • Grande Loja do Queijo Limiano
  • João Pereira Coutinho
  • Letras com Garfos
  • Lóbi do Chá
  • Margens de Erro
  • My Guide to your Galaxy
  • O Futuro Presente
  • O Insurgente
  • O Mal de Portugal
  • O Observador
  • O Purgatório
  • Observatório da Jihad
  • Por Causa Dele
  • Por Tu Graal
  • Pura Economia
  • Quadratura do Círculo
  • Relações Internacionais
  • Retórica
  • Tempos Interessantes
  • Teoria da Suspiração
  • The Guest of Time
  • The Intelectual Life
  • Tomar Partido
  • Blogues Internacionais

  • Cato @ Liberty
  • Counterterrorism Blog
  • Freakonomics Blog
  • JCB Blog
  • Johan Norberg Blog
  • NEI Nuclear Notes
  • Private Sector Development Blog
  • Secondhand Smoke
  • The Conservative Philosopher
  • Imprensa

  • Público
  • Correio da Manhã
  • Jornal de Notí­cias
  • Diário Digital
  • Diário de Notí­cias
  • Agência Lusa
  • Diário Económico
  • Jornal de Negócios
  • Courrier Internacional
  • Expresso
  • Visão Online
  • Sol
  • TSF
  • Rádio Renascensa
  • Imprensa Internacional

  • ABC
  • Google News
  • Yahoo! News
  • The Economist
  • BusinessWeek
  • Foreign Policy
  • Time
  • Bloomberg
  • Financial Times
  • MSNBCnews
  • Foreign Affairs
  • CNN
  • Fortune
  • The Atlantic
  • The Times
  • The New York Times
  • Washington post
  • Zenit
  • Reuters
  • MercatorNet
  • Agence France Press
  • Courrier International
  • Le Monde
  • All Africa
  • Jornal de Angola
  • Invertia
  • Aljazeera
  • China Daily
  • Informações

  • IEEI
  • CIARI
  • IPRI
  • CIEJD
  • IGFSE
  • SEDES
  • Crí­tica
  • O Portal da Cidade de Braga
  • Universidade do Minho
  • Centro Universitário do Minho
  • Parleurop
  • Rede Eléctrica Nacional
  • Páginas Amarelas
  • Icep Portugal
  • Comissão Nacional de Eleições
  • Instituto Nacional de Estatí­stica
  • Dicionário de Lí­ngua Portuguesa
  • Banco de Portugal
  • Compromisso Portugal
  • União Europeia
  • Serviço de Informações de Segurança
  • Presidência da República
  • Portal do Governo
  • Diário da República Electrónico
  • Assembleia da República
  • Informações Internacionais

  • WTO
  • OPEC
  • OECD
  • OSCE
  • NATO
  • Hoover Institution
  • BP Global
  • Institute for International Economics
  • The World Bank
  • International Monetary Fund
  • Center for Security Policy
  • Chatham House
  • Council on Foreign Relations
  • Institut d'Études de Sécurité
  • Eurobarometer
  • Institute of Development Studies
  • G8 Information Centre
  • United Nations
  • Terrorism Research Center
  • The International Institute For
    Strategic Studies

  • CIA - The World Fact Book
  • Religião Católica

  • A Santa Sé
  • Opus Dei
  • Catholic Fire
  • Partidos Polí­ticos Portugueses

  • Partido Social Democrata
  • CDS/Partido Popular
  • Partido Nova Democracia
  • Partido Socialista
  • Partido Comunista Português
  • Bloco de Esquerda
  • Partidos e Instituições Conservadoras

  • International Democratic Union
  • The Conservative Party
  • Republican National Committe
  • American Conservative Union
  • The Churchill Center
  • Margaret Thatcher Foundation
  • Union pour un Mouvement Populaire
  • CDU/CSU
  • Conservative Party of Canada
  • Liberal Party of Australia