sábado, julho 08, 2006

Necessidade de neoliberalismo em Portugal (DMS)

Sem economias competitivas não há investimento. E, sem investimento não há emprego, nem justiça social. Em Portugal isto acontece. Se chegamos a esta situação foi devido a uma governação tendencialmente socialista que dura há mais de 30 anos. Qual a resposta, então, aos problemas do país?
A única doutrina social que pode fazer algo por Portugal é o neoliberalismo. E, para quem não sabe, esta corrente de pensamento político defende a instituição de um sistema de governo onde o indivíduo tenha mais importância do que o Estado, isto é, apela à liberdade e responsabilidade individual. A concepção neoliberal caracteriza-se pela valorização da competição entre as pessoas, à permissão de todos para venderem o que produzem, num mercado mais amplo possível. Esta filosofia também defende que deverá ser a família a preocupar-se com a sua saúde escolhendo os seus próprios médicos ou os professores dos seus filhos. Esta doutrina, prega ainda o estímulo da economia por meio da criação de empresas privadas, apoiando também a redução da tributação sobre a renda, além da respectiva carga fiscal. A filosofia neoliberal acredita que a desigualdade é uma consequência da falta de liberdade que o Estado impõe, ao retirar uma percentagem considerável do vencimento sob a forma de impostos para custear o Estado, bem como a imposição de certos conteúdos na educação, por exemplo.
É ou não verdade que há falta de liberdade num Estado que deve "abrir caminho para uma sociedade socialista" (Preâmbulo da Consituição da República Portuguesa)? É claro que sim, a demonstração está no primeiro parágrafo. É o mesmo Estado com tendência socialista que leva à menor justiça social e ao empobrecimento do país. Portugueses, não se deixem enganar!

14 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Excelente análise. Simples e sintética.
Muito bem

Filipe Amaral

12:46 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Impecável, muito bem.

Joana Amaral

12:57 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Prefiro chamar-lhe liberalismo. Muito bom.

Rui Duarte

3:14 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

nunca conseguiremos ser neoliberais, em Portugal as pessoas não têm capacidade para assumirem responsabilidades e para vingar "sozinhas".

6:10 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Falem-me agora de neoliberalismo...
Onde está o estado regulador?
Onde está o "ser social" assumido pelas empresas...
Ainda acham que o mercado se auto-regula?
ainda acham que o estado intervencionista é uma ideia do passado?
Devemos reflectir todos acerca destas temáticas cada vez mais actuais...

3:00 da tarde  
Anonymous josé luís said...

José diz....

Acho que neoliberalismo será a prática e a politica mais certa para os povos,mas para isso é preciso que os Estados sejam menos Estado e mais Nação.Enquanto as Nações forem propridade dos Estados ,o neoliberalismo jamais vingará, para inflecidade de todos os POVOS.

10:54 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Os resultados desta politica já falam por si: mais desemprego, menos saude, menos ensino, mais desigualdade. É só olhar em volta. Contudo, as politicas socializantes aqui criticadas de forma velada, foram as responsaveis pelo boom economico da Europa e Japão após IIWW. O neoliberalismo não passa de uma forma de darwinismo social. Por isso, onde está essa igualdade em que 1/2 duzia tem tudo, e os restantes nada. Não invoquem o diabo...

10:09 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Dos textos mais utópicos que já li. Está bem escrito, parabéns. Tão conciso que consegue parecer credível para alguns.

Emanuel Saramago

12:05 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

E ainda tem gente sem conhecimento real: "Com a evolução dos instrumentos jurídicos que suportam a arquitectura das Comunidades Europeias, particularmente a partir do Acto Único, tem-se acelerado esta tendência de domínio dos pequenos países pelos grandes, em que, de tratado em tratado, de revisão em revisão – Maastricht, Nice, Lisboa, Pacto do euro, revisão do Tratado de Lisboa, etc. – a margem de manobra dos pequenos países na gestão autónoma e soberana da sua vida vai diminuindo, restando cada vez menos variáveis, sejam elas políticas, financeiras, económicas e sociais, que estes estejam “autorizados” a exercer em plenitude, ou, simplesmente a exercer. Tais actividades estratégicas, constituem, como é sabido, uma condição necessária para o desenvolvimento de toda a economia, ao desenvolvimento integrado e para o exercício da soberania, que Portugal não tem."

10:45 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Como é possível achar que políticas que promovem o interesse próprio poderiam alguma vez manifestar uma sociedade justa, equilibrada e igualitária? Para quem ainda tiver dúvidas acerca dos benefícios da igualdade recomendo vivamente o livro O Espírito da Igualdade de Richard Wilkinson e Kate Pickett. O neoliberalismo conduz, por definição, a monopólios e cartéis. E a ÚNICA liberdade que concede é a de submeter todos a estas batalhas comerciais onde há vantagens de riqueza inultrapassáveis e, inevitavelmente, vencedores e vencidos.

8:46 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Vejo nos "USA" a essência do neoliberalismo. Propinas para a Universidade altíssimas... saúde só para quem tem dinheiro...
Parece-me mais uma neo-porcaria.

10:36 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Quanto a isto não há comentários a fazer! Não há um único estado neo-liberal no mundo onde essas ideias tenham vingado...o homem é ganancioso por natureza, e as filosofias ficam imediatamente para trás do dinheiro. Neoliberalismo= Oligarquia e ditadura económica! Nada mais! O homem livre não é que vende...É o que consome o que a terra lhe dá! Deixa-me triste saber que ainda há pessoas que querem ganhar dinheiro à custa dos outros.

1:33 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

neoliberalismo ou um novo capitalismo camuflado?Infelismente é isto k nos estera a partir da próxima segunda feira.esta campanha foi por parte dos tres ,PSD,PS e CDS uma escondida de tudo k rodeia este país.Voltamos á estaca zero, Tudo o k é estado é mau para o PSD e CDS.o PS foi o responsável por esta situação não dando voz aos partidos de esquerda, sim porque de esquerda infelizmente pouco teve

11:19 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Existem dois trabalhos muito interessantes e documentados de uma jornalista de investigação americana chamada Naomi Klein "A Doutrina do Choque - A Ascenção do Capitalismo de Desastre" e "No Logo" que aconselho vivamente.
Talvez no final as pessoas não fiquem com uma ideia tão cor de rosa em relação ao neoliberalismo.
Cumprimentos
APRNS

10:34 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

 

 

   Links

Blogues

  • 31 da Armada
  • A Arte da Fuga
  • A Destreza das Dúvidas
  • A Origem das Espécies
  • Abrigo de Pastora
  • Abrupto
  • Atlântico
  • Axónios Gastos
  • Blasfémias
  • Bloguí­tica
  • Causa Liberal
  • Combustões
  • Conversas Vadias
  • Da Rússia
  • Do Portugal Profundo
  • Grande Loja do Queijo Limiano
  • João Pereira Coutinho
  • Letras com Garfos
  • Lóbi do Chá
  • Margens de Erro
  • My Guide to your Galaxy
  • O Futuro Presente
  • O Insurgente
  • O Mal de Portugal
  • O Observador
  • O Purgatório
  • Observatório da Jihad
  • Por Causa Dele
  • Por Tu Graal
  • Pura Economia
  • Quadratura do Círculo
  • Relações Internacionais
  • Retórica
  • Tempos Interessantes
  • Teoria da Suspiração
  • The Guest of Time
  • The Intelectual Life
  • Tomar Partido
  • Blogues Internacionais

  • Cato @ Liberty
  • Counterterrorism Blog
  • Freakonomics Blog
  • JCB Blog
  • Johan Norberg Blog
  • NEI Nuclear Notes
  • Private Sector Development Blog
  • Secondhand Smoke
  • The Conservative Philosopher
  • Imprensa

  • Público
  • Correio da Manhã
  • Jornal de Notí­cias
  • Diário Digital
  • Diário de Notí­cias
  • Agência Lusa
  • Diário Económico
  • Jornal de Negócios
  • Courrier Internacional
  • Expresso
  • Visão Online
  • Sol
  • TSF
  • Rádio Renascensa
  • Imprensa Internacional

  • ABC
  • Google News
  • Yahoo! News
  • The Economist
  • BusinessWeek
  • Foreign Policy
  • Time
  • Bloomberg
  • Financial Times
  • MSNBCnews
  • Foreign Affairs
  • CNN
  • Fortune
  • The Atlantic
  • The Times
  • The New York Times
  • Washington post
  • Zenit
  • Reuters
  • MercatorNet
  • Agence France Press
  • Courrier International
  • Le Monde
  • All Africa
  • Jornal de Angola
  • Invertia
  • Aljazeera
  • China Daily
  • Informações

  • IEEI
  • CIARI
  • IPRI
  • CIEJD
  • IGFSE
  • SEDES
  • Crí­tica
  • O Portal da Cidade de Braga
  • Universidade do Minho
  • Centro Universitário do Minho
  • Parleurop
  • Rede Eléctrica Nacional
  • Páginas Amarelas
  • Icep Portugal
  • Comissão Nacional de Eleições
  • Instituto Nacional de Estatí­stica
  • Dicionário de Lí­ngua Portuguesa
  • Banco de Portugal
  • Compromisso Portugal
  • União Europeia
  • Serviço de Informações de Segurança
  • Presidência da República
  • Portal do Governo
  • Diário da República Electrónico
  • Assembleia da República
  • Informações Internacionais

  • WTO
  • OPEC
  • OECD
  • OSCE
  • NATO
  • Hoover Institution
  • BP Global
  • Institute for International Economics
  • The World Bank
  • International Monetary Fund
  • Center for Security Policy
  • Chatham House
  • Council on Foreign Relations
  • Institut d'Études de Sécurité
  • Eurobarometer
  • Institute of Development Studies
  • G8 Information Centre
  • United Nations
  • Terrorism Research Center
  • The International Institute For
    Strategic Studies

  • CIA - The World Fact Book
  • Religião Católica

  • A Santa Sé
  • Opus Dei
  • Catholic Fire
  • Partidos Polí­ticos Portugueses

  • Partido Social Democrata
  • CDS/Partido Popular
  • Partido Nova Democracia
  • Partido Socialista
  • Partido Comunista Português
  • Bloco de Esquerda
  • Partidos e Instituições Conservadoras

  • International Democratic Union
  • The Conservative Party
  • Republican National Committe
  • American Conservative Union
  • The Churchill Center
  • Margaret Thatcher Foundation
  • Union pour un Mouvement Populaire
  • CDU/CSU
  • Conservative Party of Canada
  • Liberal Party of Australia